#PoemeSe – Verdade Minha, por Maristela Marques

Silêncio. Nada a dizer.

O que dizer se o que digo ao mundo

Cala em mim? Silêncio!

O que falo vem de mim

Deve partir do que sinto

Se assim não for, então minto.

E mentiras não devem ser ditas!

Silêncio. Minha voz ecoa

Ouço o que diz, o que ressoa

Em minhas fibras íntimas, ouço…

Mas faço isso só, comigo mesmo.

Enquanto ouço o que digo

Incômodo, desassossego…

Mas aprendo a me ouvir e respeitar.

Enquanto aprendo, me transformo.

Agora sim, posso dizer ao mundo o que acredito

Porque agora pulsa, tem sentido

Pois é verdade minha, que vivi.

 

Maristela Marques, poetisa e colaboradora do Feijoada Completa.

Deixe uma resposta